O Programa

HISTÓRICO

A Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) foi criada pela Lei n.o 8.680, de 30/12/87 e pelo Decreto n.o 2.352, de 27/12/94 e é formada pelos Campi de Cascavel; Foz do Iguaçu, Marechal Cândido Rondon, Toledo e Francisco Beltrão, integrando as Fundações Municipais Mantenedoras das Faculdades: FECIVEL - Faculdade de Educação, Ciências e Letras de Cascavel; FACISA - Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Foz do Iguaçu; FACIBEL – Faculdade de Ciências e Letras de Francisco Beltrão; FACIMAR - Faculdade de Ciências Humanas de Marechal Cândido Rondon e FACITOL - Faculdade de Ciências Humanas “Arnaldo Busato” de Toledo, e teve seu Estatuto aprovado pelo Decreto n° 4.429 de dezembro de 1994. Tem sua estrutura organizacional dividida em 16 centros aos quais estão vinculados 34 cursos de graduação, 30 de pós-graduação Stricto Sensu.

A UNIOESTE objetiva ser fomentadora de Centros de Pesquisa para tecnologias adequadas às demandas regionais e oferecer alternativas voltadas para a sustentabilidade do agroecossistema. A demanda por educação passou a representar a instrumentalização para ao ingresso no mercado de trabalho e, em última instância, para melhores condições de sobrevivência em um novo contexto econômico. Cabe ressaltar que a região Oeste do Paraná se tornou um pólo educacional de nível superior, com diversas Instituições de Ensino, sejam Universidades, Centros de Ensino Superior e Faculdades, criando uma demanda por pessoal especializado e qualificado para atuarem neste campo. A verticalização do ensino superior é uma das metas do planejamento estratégico para o desenvolvimento da Instituição.

As regiões oeste e sudoeste do Paraná, atendidas pela UNIOESTE, possuem grandes riquezas naturais, como: recursos hídricos abundantes, onde se incluem Reservatórios das Usinas Hidrelétricas de Itaipu, Salto Osório, Salto Santiago e Salto Caxias, e também a maior rede hídrica (bacia hidrográfica do Paraná III e bacia hidrográfica do médio Iguaçu) do Estado do Paraná. Seu solo é altamente produtivo e o clima da região é propício para atividades agrícolas. Há ainda vários remanescentes florestais, de forma que a Unioeste encontra-se localizada em uma região estratégica nesse ponto de vista, pois em um raio de 200 km são encontrados o Parque Nacional do Iguaçu (PNI) e Parque Nacional de Ilha Grande (PNIG) e ainda o Parque Estadual Rio Guarani. Ressaltam-se ainda o Corredor da Biodiversidade, que liga o PNI ao PNIG, através da margem do reservatório de Itaipu, além de remanescentes da cobertura vegetal original.

Tais ambientes se confrontam com a “agricultura moderna”, com extensas áreas de plantio de culturas anuais em regime de rotação, suinocultura e aviculturas intensivas, que exercem, juntamente com a política de desenvolvimento industrial da região, uma pressão contrária muito grande sobre o ambiente, seguindo o confronto mundial da preservação versus produção. Neste aspecto, salienta-se a importância de estudos que enfatizem a conservação e o manejo dos recursos naturais próprios da região.

Soma-se ainda o fato do crescimento e consolidação de um novo perfil econômico de produção e beneficiamento da produção agrícola na região oeste e sudoeste do Paraná, ao longo das duas últimas décadas. O Estado, e especialmente as regiões citadas, são hoje líderes em muitos segmentos desse mercado, incluindo a produção de grãos, leite, suínos e aves e seus subprodutos.

Cascavel situa-se em uma região próxima à fronteira com a Argentina e Paraguai, que vivem situação regional semelhante à observada no oeste do Estado do Paraná, pois extensas áreas de cultivo conflitam-se com remanescentes florestais, parques, etc. Há, neste contexto, parcerias já estabelecidas entre o Governo Federal e do Estado do Paraná (e consequentemente a UNIOESTE) com o governo dos países vizinhos que por meio de protocolo de intenções, medidas sejam tomadas visando aproximar os países em seus problemas comuns, na busca coletiva para soluções por meio do desenvolvimento científico e tecnológico. Assim, a presente proposta contribuirá somando ao que já vem ocorrendo na UNIOESTE, que recebe alunos, tanto para cursos de Graduação como também de Pós-Graduação.

Neste sentido, biólogos, engenheiros agrônomos, florestais e de pesca, além de químicos, farmacêuticos, entre outros, representam uma demanda regional significativa em busca de programas de pós-graduação. Tais profissionais buscam ampliar o campo de trabalho e receber treinamento e especialização técnica adequada, além de desenvolverem a capacidade de pesquisa científica e tecnológica nas diversas faces da interdisciplinaridade. Desta forma, o profissional atuará não somente na busca de conhecimento que resulte na solução ou que traga alternativas para questões locais e/ou regionais, mas que, ao adquirir formação científica e cultural, possa ser um membro atuante na sociedade, contribuindo efetivamente para o desenvolvimento científico e tecnológico, consolidando o papel criador da Universidade.

Assim, a Unioeste através de seu Conselho do Centro de Ciências Biológicas (CCBS), em reunião ordinária de 11/02/2009, aprovou o encaminhamento da proposta do programa de mestrado acadêmico de Conservação e Manejo de Recursos Naturais à CAPES. Em 12/03/2009, o CEPE pronunciou-se favorável à apresentação da proposta à CAPES, o que foi registrado na Resolução 005/2009-CEPE e aprovado na Resolução 128/2009-CEPE.

O Programa de Pós-Graduação em Conservação e Manejo de Recursos Naturais PPRN– Nível Mestrado foi recomendado pela CAPES (CTC-ES, em sua 112ª reunião, realizada de 28 a 30 de setembro, e DCE 1 a 2 de outubro de 2009, Ofício n. 83-21/2009/CTC/CAAIV/CGAA/DAV/CAPES, de 6 de outubro de 2009, código 40015017015P8), Programa reconhecido pela Portaria Ministerial nº 1045, de 18/10/2010 - DOU 19/08/2010, seção 1, p. 10. , com atribuição da nota 3,0. O PPRN (www.unioeste.br/pos/conservacaoemanejo) segue as normas de regulamentação da Pós-Graduação da UNIOESTE da Resolução no 237/2007 – CEPE, de 18/10/2007 e do regulamento interno do Programa: Resolução nº 120/2012-CEPE O PPRN (www.unioeste.br/pos/conservacaoemanejo) está estruturado em uma área de concentração, denominada Conservação e Manejo de Recursos Naturais (PPRN), que agrega duas linhas de pesquisas: Biologia Comparada e Indicadores de Qualidade no Ambiente Aquático e Biologia Aplicada e Indicadores de Qualidade no Ambiente Terrestre.

Nesse aspecto, busca-se capacitar, atualizar e aprimorar os diversos profissionais de nível superior (biólogo, engenheiro agrônomo, engenheiro florestal e engenheiro de pesca, químico e farmacêutico), em aspectos científicos e tecnológicos na Área de Concentração em Conservação e Manejo de Recursos Naturais.

As linhas de pesquisa estão organizadas em temáticas de investigação correspondentes aos objetos de estudo dos docentes e vinculadas à produção científica dos 15 docentes permanentes (estando em andamento o cadastramento interno na Unioeste de mais um docente permanente – totalizaremos 16) e mais 02 docentes da Unioeste, cadastradas como colaboradoras no PPRN. O conjunto de docentes tem sua atuação voltada para a avaliação de impactos ambientais em sistemas hídricos continentais, bem como o manejo e a conservação ambiental, envolvendo o desenvolvimento de práticas alternativas de controle de pragas, plantas invasoras e doenças, formação de bancos de dados de espécies vegetais para as áreas estudadas e a riqueza, diversidade e similaridades florística, além de gerar tecnologias aplicadas ao manejo, à conservação e ao tratamento de efluentes, próprias de regiões agrícolas, assim, preservando a biodiversidade do ambiente terrestre e proporcionando melhor qualidade agregada à produção agrícola.

Neste processo de consolidação e expansão da Instituição, a ampliação e o fortalecimento do programa de Pós-Graduação em Conservação e Manejo de Recursos Naturais, Campus de Cascavel, fazem necessários para atender a demanda de capacitação profissional em Ciências Biológicas e áreas afins, além de suprir a inexistência de programas de pós-graduação Stricto Sensu nesta área, nos estados da região Sul do País. Ressalta-se que o Programa, atuando de forma integrada ao Curso de Graduação em Ciências Biológicas (Bacharelado e Licenciatura), também contribui significativamente para a melhoria da qualidade do ensino, pesquisa e extensão desenvolvidos no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde.

Institucionalmente, o PPRN http://www.unioeste.br/pos/conservacaoemanejo está vinculado ao Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) que ainda abriga o Programa de Pós-graduação em Biociências e Saúde e em Odontologia, ambos com curso de Mestrado e, ainda, cursos de graduação: Licenciaturas em Ciências Biológicas e em Enfermagem e os Bacharelados em Ciências Biológicas, Enfermagem, Fisioterapia e Odontologia e as especializações em Fisioterapia Intensiva, Especialização em Saúde Pública e Residências em Odontologia, Fisioterapia e em Enfermagem.

No âmbito da administração superior, o PPRN está vinculado à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG) integrando o conjunto de 29 de pós-graduação 30 programas de Pós-Graduação, sendo 25 mestrados e 4 (quatro) com mestrado/doutorado, destes programas 2 são Mestrado Profissional

A gestão do Programa conta com a coordenação (Prof. Dr. Luis Francisco Angeli Alves) e um suplente da coordenação (Profa. Dra. Andrea Teixeira Fortes), eleitos por 2 anos (27 de abril de 2014 a 26 de abril de 2016, Portaria n. 1946/2014-gre) e assessorados por uma assistente de coordenação (Marcia Cruz) da carreira dos servidores técnico-administrativos da instituição. As ações administrativas e pedagógicas da coordenação seguem as deliberações do Colegiado do Programa, composto por docentes permanentes e representantes discentes.

A primeira avaliação trienal do curso recomendou a manutenção da nota 3. A Ficha de Recomendação - APCN-CAPES de 2009 já indicava: "Deve ser levado em conta que oito desses 14 docentes estão credenciados como docentes permanentes em outros programas de pós-graduação da mesma IES (...) Isso também contribui para levantar dúvidas sobre a disponibilidade do quadro docente proposto para levar adiante, com sucesso, o curso proposto". Esse perfil do corpo docente permanece no triênio 2010-12, Dos 13 docentes, 11 também são permanentes em outro programa, o que representa 84%, ultrapassando a recomendação do Documento da área Interdisciplinar 2013 que indica que pelo menos 50% dos docentes permanentes não devem estar comprometidos com outros programas de pós-graduação na mesma categoria docente. Considerando a área de concentração, as linhas de pesquisa e os projetos de pesquisa, observamos que há aderência à Área de Ciências Ambientais.

No início de 2013, o Programa credenciou a docente da Unioeste/Cascavel, Dra. Rosilene Luciana Delariva na área de Ecologia de Peixes. No final de 2013 o Programa deu início ao credenciamento do docente da Unioeste/Cascavel, Dr. Roberto Laridondo Lui, na área de citogenética básica/molecular de peixes, genética molecular e proteômica. No início do 2º semestre de 2014 o Programa deu início ao credenciamento da docente da Unioeste/Cascavel, Dra. Shirley Martins Silva, na área de anatomia ecológica, dando continuidade a esse processo de ampliação do corpo docente o PPRN conta ainda com a participação de duas docentes como colaborares em disciplinas do mestrado (Tópicos especiais em Ecologia numérica, Dra. Ana Tereza Bittencourt Guimarães e Tópicos especiais em Anatomia Ecológica de plantas vasculares, Dra. Shirley Martins Silva/em fase de credenciamento), tais disciplinas ocorrem em 2014.

Destaque deve ser dado ao Programa Nacional de Pós-doutorado (PNPD), por meio do qual no PPRN esteve uma bolsista desenvolvendo uma pesquisa inédita no período 2011/2013, cuja produção científica começa a ser encaminhada para publicação, além de ter atuado na co-orientação de uma aluna do PPRN e contribuído no andamento das atividades do Laboratório de Biotecnologia Agrícola. Em 2014, ainda no mesmo PNPD, uma nova bolsista foi selecionada, para atuar, agora, na área de Fisiologia Vegetal.

Durante os seus primeiros 4 anos de existência, tem sido constatado no PPRN a capacidade dos docentes em captar recursos financeiros juntos aos diferentes órgãos de fomento, com aportes que ultrapassaram R$ 4 milhões. Esse investimento tem já refletido na produção científica, seja em quantidade como em qualidade, e com uniformidade no grupo de docentes, já que nesse período se observou também o amadurecimento e consolidação da carreira do docente com o financiamento da sua pesquisa e o ingresso no PPRN.

Assim, dentro da área Interdisciplinar, no primeiro triênio (2010-2011-2012), a evolução da produção científica foi da seguinte forma: 2010 - 18,2% nos estratos A1 e A2; 25,0% nos estratos B1 e B2; 56,8% nos estratos B3, B4, B5; 2011 - 25,0% nos estratos A1 e A2; 30,6% nos estratos B1 e B2; 44,4% nos estratos B3, B4, B5; 2012 - 33% nos estratos A1 e A2; 66% nos estratos B1 e B2, conferindo ao PPRN o IndProd = 1,56 (CAInter) para esse período. Contudo, já no início do triênio vigente (2013-2014-2015), iniciamos o período (2013) com 69 artigos, distribuídos da seguinte forma: 16,9% nos estratos A1 e A2; 58,5% nos estratos B1 e B2; 6,15% nos estratos B3, B4, B5. Esta evolução histórica confere ao PPRN o IndProd = 2,73 (CAInter) , bem acima do valor anterior e, principalmente, acima do mínimo exigido pela CAPES para um programa obter conceito 4 na área interdisciplinar.

Ressalta-se que na avaliação do primeiro triênio, a CAPES recomendou na Ficha de Avaliação do Programa que o PPRN mudasse de área de avaliação, indicando a área CIÊNCIAS AMBIENTAIS. No dia 10/04/2014 encaminhou-se formalmente o pedido, via Plataforma Sucupira e recebemos o retorno dia 01/8/2014, no qual consta o Coordenador da Área Interdisciplinar Prof. Dr. PEDRO GERALDO PASCUTTI, que apresenta a situação atual de “A HOMOLOGAR - ÁREA DE DESTINO”.

Em relação à demanda de candidatos, o PPRN tem acumulado a média de 50 candidatos nos seus processos seletivos. A procura de candidatos ao Programa e, em especial, pela grande necessidade de profissionais qualificados na Área de Conservação e Manejo de Recursos Naturais na região, fez com que em 2011 fosse ampliado o número de vagas ofertadas pelo Programa 22 vagas, sendo respeitado o limite de 4 orientandos por orientador, conforme consta no regulamento do Programa, aprovada pelo Colegiado, Conselho de Centro e CEPE (Resolução 120/2012/CEPE/UNIOESTE).

Assim, o PPRN encontra-se em franca consolidação, com seus números em crescimento, o que demonstra sua importância n contexto regional frente à problemática que está em seu foco e está em uma fase de transição, e aguardamos o parecer final para concretizar a mudança que também envolverá o nome da área de concentração que passará a ser “Ciências Ambientais”, abrindo novas perspectivas para a sua história.

 

Estrutura Pedagógica

 

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Conservação e Manejo de Recursos Naturais é composto por disciplinas obrigatórias e por disciplinas eletivas, cada uma formada por 4 créditos. Para a disciplina Tópicos especiais o conteúdo será variável conforme a demanda. Para a integralização do curso, o aluno deve cumprir um total de, no mínimo, 24 créditos, sendo que cada unidade de crédito corresponde a 15 (quinze) horas de atividades programadas, compreendendo aulas teóricas e práticas e seminários.

A disciplina de Seminários é considerada disciplina obrigatória, com 15 horas, porém para a mesma não há atribuição de créditos. Da mesma forma, também não são computadas as horas e não são atribuídos créditos para as atividades de proficiência em língua estrangeira, atividades científicas, desenvolvimento da dissertação e estágio em docência. Ressalta-se que no preenchimento dos dados na Plataforma Sucupira não se consegue atribuir tais valores para s respectivas disciplinas e/ou atividades, ficando assim, uma divergência, a qual precisa ser considerada na avaliação do relatório.

As disciplinas que formam a estrutura curricular do PPRN contempla área de concentração do Programa, em suas duas linhas de pesquisa, focadas respectivamente no ambiente terrestre e aquático, havendo disciplinas obrigatórios e eletivas.

 

Projeto Politico Pedagógico .Pdf

 

Seleção de candidatos

O Programa de Pós-Graduação em Conservação e Manejo de Recursos Naturais oferta anualmente vagas para biólogos, eng. agrônomos, eng. Florestais, eng. de pesca, químicos, farmacêuticos, entre outros, representando a ampliação do campo de trabalho, recebendo treinamento e especialização técnica adequados, além de desenvolverem a capacidade de pesquisa científica e tecnológica nas diversas faces da interdisciplinaridade. Desta forma, o profissional atuará não somente na busca de conhecimento que resulte na solução ou que traga alternativas para questões locais e/ou regionais, mas que possa ser um membro atuante na sociedade, contribuindo efetivamente para o desenvolvimento científico e tecnológico, consolidando o papel criador da Universidade.

O processo de seleção para aluno regular ocorre anualmente obedecendo os critérios de seleção estipulado no Regulamento do Programa e Edital de abertura de inscrição.

A inscrição e matrícula para aluno especial ocorre semestralmente, após a matrícula dos alunos regulares, obedecendo os critérios estipulados no Regulamento do Programa e Edital.

 

Estágio em docência

O estágio de docência constitui atividade obrigatória para todos os discentes regulares do Programa (independente de serem bolsistas CAPES), o qual deve constar no histórico escolar do discente, com o conceito aprovado, conforme Resolução 327-CEPE/2009. O estágio de docência obedece aos seguintes critérios:

1) o estágio de docência tem carga horária máxima de 30 h/a;

2) compete à Comissão de Bolsa CAPES registrar e avaliar o estágio de supervisão e o acompanhamento do estágio;

3) o discente que comprovar experiência na docência em instituições públicas de ensino superior pode ser dispensado do estágio de docência, a critério do Colegiado do Programa;

4) as atividades do estágio de docência devem ser compatíveis com a área de pesquisa do Programa.

A parceria do programa com a graduação (Engenharia de Pesca, Engenharia Agrícola e Ciências Biológicas) possibilitou a realização dos estágios de docência por todos os alunos matriculados regularmente no PPRN, permitindo a consolidação das relações acadêmicas entre os discentes do Programa e os cursos de graduação, uma vez que se oportuniza ao mestrando a experiência na docência, em todas as suas fases (observação, elaboração e aplicação) e aos graduandos uma abordagem distinta, muitas vezes com uma dinâmica diferente daquela costumeiramente adotada pelo professor da disciplina.