Home

 

 

O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA EM REGIÃO DE FRONTEIRA está implantado no Campus de Foz do Iguaçu, situado geograficamente no ponto de convergência de três países membros do MERCOSUL (Brasil, Paraguai e Argentina) apresentando condição ímpar para a integração do conhecimento teóricos, filosóficos e prático entre as áreas de saúde e afins.

 

O Mestrado buscará potencializar o desenvolvimento de pesquisas em saúde pública, visando repercussão nos serviços públicos de saúde na grande Região da Fronteira, que ainda precisa conformar políticas e programas de saúde e aperfeiçoar a Atenção Primária à Saúde como passo para organizar os outros pontos de atenção do sistema.

 

O Projeto Pedagógico do Programa instrumentaliza a formação de pesquisadores por meio da interação entre diferentes campos disciplinares, para buscar soluções para problemas de saúde particulares e complexos, tendo como escopo o cuidado, o processo saúde-doença e a interdisciplinaridade, que se compatibiliza com as necessidades sociais vivenciadas na Tríplice Fronteira.

 

Destaca-se que o desafio é a produção de pesquisas de caráter transnacional, que conduzirá a geração de conhecimento sobre fatores que afetam a saúde pública, para além do âmbito de um único país, mas envolvendo um ou mais países fronteiriços.

 

Desta forma, o PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA EM REGIÃO DE FRONTEIRA privilegia a busca dos seguintes objetivos:

 

 - Formar pesquisadores para o desenvolvimento de pesquisa científica, por meio de abordagens teórico-metodológicas de interesse para a saúde pública; 

- Qualificar profissionais com formação científica ampla e aprofundada no âmbito da investigação e da aplicação do conhecimento produzido na assistência e no ensino no campo da enfermagem e saúde pública;

- Capacitar recursos humanos capazes de alavancar o desenvolvimento de estudos voltados as necessidades da saúde pública do país com destaque a saúde em regiões de fronteira internacional;

- Produzir conhecimentos qualificados frente as doenças e agravos de relevância epidemiológica, visando a vigilância em saúde em região de fronteira internacional.