Linhas de Pesquisa

 

Linha 1:  Políticas de saúde em região de fronteira

 

Descrição: Esta linha apresenta como foco pesquisas e formação de recursos humanos envolvendo competências e habilidades para refletir, contextualizar e abordar de forma teórica e empírica as politicas de saúde como problema de pesquisa, tendo em vista o seu impacto na saúde publica e na atenção e cuidado integral do ser humano em um contexto de região de fronteira. As politicas de saúde constituirão foco de pesquisa tendo em vista as suas diferentes dimensões considerando regiões de fronteira, sendo estas a dimensão local (municipal, municipalidades), supralocal (estadual, provincial, departamental), nacional (de cada pais) e transnacional (de grupo de países) e o impacto dessas politicas sobre o processo saúde-doença e na saúde publica, tendo em ultima instancia, a atenção a saúde e o cuidado integral como tema integrador.

 

Linha 2:  Epidemiologia e vigilância em saúde de fronteira

 

Descrição: Esta linha apresenta como foco as pesquisas e formação de recursos humanos na área da epidemiologia visando a identificação dos principais agravos a saúde que afligem as populações de 

regiões de fronteira transnacionais, e a determinação dos fatores que influenciam a sua incidência e prevalência, tendo em vista as particularidades biopsicossociais, ambientais, étnicas, culturais, e politico-ideológicas da região pesquisada. A epidemiologia constituirá importante área de investigação que contribuirá para a compreensão de diferentes elementos que influenciam no processo-saúde-doença no ciclo vital, através de uma abordagem espacial (local, supralocal, nacional e/ou transnacional) e temporal, visando o aprimoramento dos processos relacionados com a saúde pública e tendo a atenção a saúde e o cuidado integral como elemento integrador.

 

Linha 3:  Coletividades e o processo saúde-doença em região de fronteira e as relações com a interdisciplinaridade

 

Descrição: Esta linha apresenta como foco as pesquisas e formação de recursos humanos na área da atenção à saúde e do cuidado integral do ser humano e de populações humanas no ciclo vital. As pesquisas em região de fronteira envolvem o estudo de diferentes coletividades que apresentam diversidade biopsicossocial, ambiental, étnica, cultural e político-ideológica, necessitando-se de uma abordagem multivariável e multidisciplinar para a compreensão dos fatores que influenciam o processo saúde-doença em diferentes etapas do ciclo vital (recém-nato, criança, adolescentes, jovens, adultos e idosos) e segundo as especificidades de sexo (homens, mulheres e gestantes). Nesta linha, a pesquisa do processo saúde-doença das coletividades em região de fronteira terá a atenção à saúde e cuidado integral como elemento integrador.